Uma mãe desce ao inferno para ajudar seu filho

Esta tocante e profunda prece foi proferida na dimensão espiritual por uma mãe que desce ao “inferno”, ao chegar o sublime momento de resgatar o seu filho do vale do sofrimento em que ele mesmo se precipitou. Filho este que na vida terrena havia se tornado padre, porem seus caprichos e sua arrogância o fizeram na vida espiritual, um mendigo de luz.

Após longo período mantendo a si mesmo no desfiladeiro da dor, algemado pelo ódio e pela revolta, o padre Domênico finalmente arrebenta os grilhões infernais, sendo auxiliado sem mesmo perceber, por André Luiz, Zenóbia e obreiros socorrista.

Ao dobrar seu orgulho diante da Justiça Divina, Domênico pôde finalmente pela sintonia estabelecida, receber a ajuda direta e efetiva de sua mãe, Dona Ernestina.

Do Âmago do seu Ser, ela diz:

“— Repete, filho, as minhas palavras.

Numa cena comovedora, que jamais me fugirá da recordação, a dedicada genitora orou pausadamente, acompanhando-a Domênico, sentença por sentença:

— Senhor Jesus!
— Senhor Jesus!

— Eis-me aqui…
— Eis-me aqui…

— Doente e cansado aos teus pés…
— Doente e cansado aos teus pés…

— Compadece-te de mim, bem-amado pastor, de mim, ovelha desgarrada de teu rebanho… Ofuscou-me o brilho falso da vaidade humana, a ilusão terrestre embotou-me o raciocínio, o egoísmo enrijeceu-me o coração e caí no precipício da ignorância, como leproso do sentimento. Tenho chorado e sofrido amargamente, Senhor, minha defecção espiritual. Mas eu sei que és o divino Médico, dedicado aos infelizes e transviados do caminho… Por piedade, livra-me da prisão de mim mesmo, liberta-me do mal resultante de minhas próprias ações, faze que meus olhos se abram à luz divina! Nutre-me com a tua verdade soberana, ampara-me a esperança de regeneração! Senhor, dá-me forças para ressarcir todas as dívidas, curar todas as chagas, corrigir todos os erros que se acham vivos dentro de mim… Perdoa-me, concedendo-me recursos para o resgate, não me deixes entregue aos resquícios das paixões que eu mesmo criei impensadamente, favorecendo-me com as tuas repreensões silenciosas nas situações disciplinares e, sobretudo, Benfeitor sublime, retribui aos teus servos que me auxiliam nesta hora, conferindo-lhes renovadas bênçãos de energia e paz, a fim de que auxiliem outros corações tão extenuados e caídos quanto o meu! Jesus, confiaremos em tua compaixão para sempre! Assim seja!”

Este relato da vida espiritual está no livro “Obreiros da Vida Eterna” do Espírito André Luiz, psicografado por Chico Xavier.

 

>> Conheça o Concerto Musical que foi  que foi composto em homenagem a Chico Xavier.

Você já leu esta obra? Acredita que a vida e a ligação entre as pessoas prossegue após a morte do corpo físico? Deixe abaixo a sua opinião?

 

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui