O mercado Moran, o maior distribuidor coreano de carne de cachorro, localizado na cidade de Seongnam, na Coreia do Sul, vai fechar as instalações onde estes animais eram mortos. O acordo entre autoridades locais e os 22 vendedores de carne de cachorro do mercado foi feito após vários dias de negociações.

De acordo com o The Korea Herald, os comerciantes receberão incentivos econômicos para que possam dedicar-se a outros tipos de atividades. Todas as gaiolas onde os cães eram mantidos serão retiradas. Calcula-se que todo esse processo esteja terminado antes do mês de maio de 2017.

Desde 1960 o mercado Moran está em funcionamento. Estima-se que 80 mil cães são sacrificados por ano, o que significa um terço do consumo total desta carne no país, onde as pessoas iam ao mercado e compravam a carne já exposta ou podiam escolher entre os animais que estavam nas gaiolas.

A forma cruel como estes animais eram mortos também foi duramente questionada. Eles eram eletrocutados, enforcados ou açoitados. A decisão foi comemorada pelas organizações que defendem os direitos dos animais e que pedem que o consumo dessa carne seja proibido em toda a Coreia do Sul.

coreia_do_sul_comeca_ser_erradicado_consumo_carne_cachorro_2
Em junho se realiza o Festival da carne de cachorro no sul da China ll AFP
coreia_do_sul_comeca_ser_erradicado_consumo_carne_cachorro_3
Kim Jong-un diz que a carne de cachorro é a melhor de todas por ter mais vitaminas que as demais. Ele acrescenta que, para que seja mais saborosa, ele tem que ser morto a pauladas ll zona-militar.com

 

Fonte: Instituto Luisa Mel
Imagens e Legenda: Olhar Animal / RPP Notícias 

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui